0
O Ministério Público precisa chamar às falas a Infraero e a Ctbel. No aeroporto de Val de Cães, os táxis da cooperativa local ocupam todas as vagas de embarque e desembarque. Os veículos particulares são obrigados a parar em fila dupla para tirar bagagens, já que não há passarela no estacionamento e a chuva cai todo dia em Belém. Aí os guardas da Ctbel – que fazem cara de paisagem para a ocupação indevida do espaço, e, pela omissão, ao invés de ordenar o trânsito, causam tumulto -, tratam de aplicar multas. De se perguntar o porquê de tantos privilégios à cooperativa de taxistas, que são mais iguais do que todos perante a lei.
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, presidente da Academia Paraense de Jornalismo, membro da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Desconhecendo o Pará

Anterior

Rede do mal

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *