0
A respeito da matéria intitulada “Agência Nacional da Propina”, veiculada na Época desta semana, sobre achaque e extorsão a empresas por assessores da Agência Nacional de Petróleo, a PF informa que as denúncias são objeto de investigação no inquérito policial nº 1725/2008, instaurado pela Delegacia de Repressão a Crimes Fazendários, no âmbito da Superintendência Regional de Polícia Federal no Estado do Rio de Janeiro, referente ao processo 2008.51.01.812930-1. E ressalta que, em observância aos princípios e garantias constitucionais, tem por norma institucional não se manifestar sobre procedimentos que ainda estão em andamento.
Verifiquei que o processo foi autuado em 18/09/2008, para apurar concussão, corrupção ativa ou passiva e está sem tramitação desde o dia 28.09.2008, na  2ª. Vara Federal Criminal do Rio. Confira aqui.
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, presidente da Academia Paraense de Jornalismo, membro da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Samba do crioulo doido

Anterior

Pistoleiros presos

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *