A expectativa era grande em relação à ida do governador Helder Barbalho à Assembleia Legislativa para a leitura da Mensagem na instalação da 61ª Legislatura. Funcionou como uma espécie de termômetro da Casa, que abriga novos deputados na oposição, e…

Foram empossados hoje na Assembleia Legislativa do Pará os 41 deputados estaduais eleitos para a 61ª Legislatura (2023-2027). Em seguida houve eleição para a Presidência e a Mesa Diretora, em chapa única, tendo sido reeleito praticamente à unanimidade – por…

O governador Helder Barbalho está soltando a conta-gotas os nomes dos escolhidos para compor o primeiro escalão de seu segundo governo. Nesta quarta-feira será a posse dos deputados estaduais e federais e dos senadores, e a eleição para a Mesa…

Pela primeira vez na história, está em curso  um movimento conjunto da Academia Paraense de Letras, Academia Paraense de Jornalismo, Instituto Histórico e Geográfico do Pará e Academia Paraense de Letras Jurídicas, exposto em ofício ao governador Helder Barbalho, propondo…

Adepol em disputa judicial

Está fervendo o clima entre os delegados de polícia parauaras. Tudo por causa das eleições para a diretoria da Associação de Delegados de Polícia do Pará – Adepol, triênio 2015/2017, realizadas dia 14/11/2014, cuja ata informa que urnas do interior do Estado foram maculadas e que pelo menos vinte e três delegados votantes estavam recém associados e pagaram o boleto após a data-limite, além de três sem pagar o boleto, enquanto delegados adimplentes foram impedidos de votar. Interposto recurso, foi solicitada e acatada pela comissão eleitoral a nulidade da eleição. Mas o caso desaguou no Judiciário, com Ação Anulatória do ato praticado pela comissão eleitoral. Os autos foram distribuídos no dia 16/11/14 e com máxima celeridade, em 24h a juíza Lailce Ana Marrom da Silva Cardoso, respondendo pela 7ª Vara Cível, concedeu a tutela antecipada requerida, suspendendo o ato praticado pela comissão eleitoral que anulou as eleições e determinando a posse da chapa União pela Valorização no dia 01/01/2015. Mais: a liminar menciona o delegado João Moraes – cabeça de chapa oposicionista  – como réu e lhe impõe obrigação de fazer, sob pena de multa diária, embora ele nem integre a comissão eleitoral, que já impetrou recurso e derrubou a decisão.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *