Área contígua ao centro histórico de Belém do Pará, Zona Especial do Patrimônio Histórico declarada por lei, o bairro do Reduto, cenário industrial da belle Époque, da Doca do Reduto no início do século XX, com suas canoas coloridas repletas…

A Primeira Seção do Superior Tribunal de Justiça fixou, sob o rito dos recursos repetitivos, a tese de que o servidor federal inativo, independentemente de prévio requerimento administrativo, tem direito à conversão em dinheiro da licença-prêmio não usufruída durante a…

O prefeito Edmilson Rodrigues cumpriu agenda institucional em Brasília, ao lado do secretário municipal de Gestão e Planejamento, Cláudio Puty. No Ministério da Economia, trataram das obras de saneamento básico no Canal do Mata Fome, no bairro do Tapanã, onde…

O leite materno contém propriedades importantes para o crescimento e desenvolvimento do bebê, fortalecendo a sua imunidade contra diversas doenças. Em 1992 a Aliança Mundial de Ação Pró-Amamentação criou a Semana Mundial de Aleitamento Materno, de 1 a 7 de…

Adepol em disputa judicial

Está fervendo o clima entre os delegados de polícia parauaras. Tudo por causa das eleições para a diretoria da Associação de Delegados de Polícia do Pará – Adepol, triênio 2015/2017, realizadas dia 14/11/2014, cuja ata informa que urnas do interior do Estado foram maculadas e que pelo menos vinte e três delegados votantes estavam recém associados e pagaram o boleto após a data-limite, além de três sem pagar o boleto, enquanto delegados adimplentes foram impedidos de votar. Interposto recurso, foi solicitada e acatada pela comissão eleitoral a nulidade da eleição. Mas o caso desaguou no Judiciário, com Ação Anulatória do ato praticado pela comissão eleitoral. Os autos foram distribuídos no dia 16/11/14 e com máxima celeridade, em 24h a juíza Lailce Ana Marrom da Silva Cardoso, respondendo pela 7ª Vara Cível, concedeu a tutela antecipada requerida, suspendendo o ato praticado pela comissão eleitoral que anulou as eleições e determinando a posse da chapa União pela Valorização no dia 01/01/2015. Mais: a liminar menciona o delegado João Moraes – cabeça de chapa oposicionista  – como réu e lhe impõe obrigação de fazer, sob pena de multa diária, embora ele nem integre a comissão eleitoral, que já impetrou recurso e derrubou a decisão.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *