Vanete Oliveira, 28 anos, mãe de cinco filhos, vive em Portel, município do arquipélago do Marajó(PA). Ela sofre há catorze anos dores atrozes além do desconforto, trauma e todo tipo de dor física e psicológica, por conta de um tumor…

As Diretorias de Combate à Corrupção e de Polícia do Interior da Polícia Civil do Pará prenderam hoje (28), no Distrito Federal, durante a Operação "Litania”, uma falsa empresária e sócios-proprietários que utilizavam empresa de fachada como instituição financeira para…

A Secretaria de Estado da Fazenda do Pará publicou extrato de dispensa de licitação para contratar a Prodepa, por R$800.427,88, a fim de desenvolver novo site da Transparência do Governo do Pará, com criação de nova arquitetura de informação, navegação…

Andar de motocicleta proporciona histórias, experiências e adrenalina. Motos oferecem facilidade de locomoção rápida e de conseguir estacionamento. Mas a liberdade é, sem dúvida, o motivo número 1 de todo motociclista. Sentir o vento, o clima, fazer parte da paisagem. Este é…

Adepol em disputa judicial

Está fervendo o clima entre os delegados de polícia parauaras. Tudo por causa das eleições para a diretoria da Associação de Delegados de Polícia do Pará – Adepol, triênio 2015/2017, realizadas dia 14/11/2014, cuja ata informa que urnas do interior do Estado foram maculadas e que pelo menos vinte e três delegados votantes estavam recém associados e pagaram o boleto após a data-limite, além de três sem pagar o boleto, enquanto delegados adimplentes foram impedidos de votar. Interposto recurso, foi solicitada e acatada pela comissão eleitoral a nulidade da eleição. Mas o caso desaguou no Judiciário, com Ação Anulatória do ato praticado pela comissão eleitoral. Os autos foram distribuídos no dia 16/11/14 e com máxima celeridade, em 24h a juíza Lailce Ana Marrom da Silva Cardoso, respondendo pela 7ª Vara Cível, concedeu a tutela antecipada requerida, suspendendo o ato praticado pela comissão eleitoral que anulou as eleições e determinando a posse da chapa União pela Valorização no dia 01/01/2015. Mais: a liminar menciona o delegado João Moraes – cabeça de chapa oposicionista  – como réu e lhe impõe obrigação de fazer, sob pena de multa diária, embora ele nem integre a comissão eleitoral, que já impetrou recurso e derrubou a decisão.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *