Desde sua origem, Marabá (PA) sofre anualmente enchentes dos rios Tocantins e Itacaiúnas e a população que reside em áreas de risco fica em situação de vulnerabilidade. Todos os anos a defesa civil estadual e municipal planeja, monitora e prepara…

Em noite de gala na próxima segunda-feira, 24, às 19h, no Teatro Maria Sylvia Nunes, em Belém, o governador Helder Barbalho vai lançar o 110º Campeonato Paraense de Futebol, o Parazão Banpará 2022, com transmissão ao vivo pela TV e…

Todos os órgãos de segurança estão trabalhando de forma integrada para dar suporte à população em face da destruição do pilar central e iminente desabamento do vão da ponte do Outeiro. O Centro Integrado de Comando e Controle da Segup…

O Procurador-Geral de Justiça do Estado do Pará, César Mattar Jr., recebeu em audiência o advogado Arnaldo Jordy e uma comissão integrada por Simone Pereira, da Universidade Federal do Pará; Marcelo Alves, da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e…

A violência campeia e destrói a cidadania

A jornalista Sâmia Mafra é mais uma vítima e entrar para a estatística de violência dessa cidade.
Caminhava hoje pela Caripunas, com uma amiga do trabalho, em direção ao Hemopa, com um objetivo muito nobre: doar sangue. Antes de chegar ao destino, em frente ao restaurante Parrila um homem estacionou a moto na calçada e puxou uma arma da calça. “Ele dizia: passa o celular se não eu atiro.
Eu, muito nervosa, gritei de desespero. O bandido apontando a arma na nossa direção mandou: cala a boca se não te mato. Abri a bolsa e entreguei o celular. Minha amiga disse que estava sem o aparelho e entregou a carteira com documentos, cartões e dinheiro. Na rua, nenhuma viatura da polícia ou morador que pudesse nos ajudar”, relatou, indignada.

Na terça-feira passada, 25, a casa do jornalista Nilton Guedes foi invadida por dois bandidos armados com revólveres. Um deles achou que ele iria reagir e atirou duas vezes. Nilton pulou e escapou do pior. A primeira bala penetrou de lado, atravessou a musculatura e ficou alojada abaixo do mamilo direito. A segunda pegou de raspão. Nilton foi socorrido e está no hospital Porto Dias, felizmente sem risco de morte. 

São apenas exemplos de uma violência que amedronta a todas as famílias. Diariamente tantos anônimos são vitimados por ela! Não podemos nos acomodar e compactuar com essa situação. É preciso providências mais eficazes, ninguém aguenta mais. Nem em casa estamos seguros.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *