Para marcar os quinze anos de criação das Florestas Estaduais de Faro, Trombetas e Paru, da Estação Ecológica Grão-Pará e da Reserva Biológica Maicuru, na Calha Norte, hoje (4), o Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) lançou…

Lançamentos literários, apresentações de teatro, oficinas voltadas para as culturas pop e japonesa, arrecadação de livros, atividades pedagógicas e lúdicas direcionadas ao público infantil, entre outras ações, estão no cardápio de cultura e arte servido aos visitantes do estande da…

O procurador do Ministério Público do Trabalho Sandoval Alves da Silva tomou posse na chefia da Procuradoria Regional do Trabalho da 8ª Região para o biênio de 2021-2023 enfatizando o papel decisivo do MPT na garantia dos direitos humanos. O…

Prevaleceu o bom senso e o cuidado com as pessoas. O prefeito Edmilson Rodrigues ouviu o secretário municipal de Saúde, Maurício Bezerra, e técnicos responsáveis pela vacinação e enfrentamento à Covid-19, e cancelou os desfiles das escolas de samba, blocos…

A transparência da nova gestão

O
caso da secretária de Finanças de Belém, Suely Azevedo, que não paga IPTU e não
recebe intimação para cumprimento de ordem judicial para que pague sob pena de
penhora de bens, já alcançou repercussão nacional. Está na Exame
e nos principais jornais do País. Apesar de ter sido o autor da denúncia, o
jornalista Carlos Mendes, correspondente da Agência Estado, não foi convidado
para uma entrevista coletiva que o prefeito Zenaldo Coutinho convocou hoje para
tratar do assunto. Nem esta que vos escreve, que pelo jeito será ignorada pelo
novo gestor. Mas não pelos munícipes, é bom lembrar. Reproduzo o comentário de
Carlos Mendes:
Não fui avisado da entrevista coletiva que o
prefeito Zenaldo Coutinho daria para explicar o inusitado caso da nova
secretária de Finanças do município, Sueli Azevedo, que se recusa a pagar o
próprio IPTU que agora ela vai cobrar dos mais de 350 mil donos e ocupantes de
imóveis. É tão estranho quanto engraçado que justamente o jornalista que
denunciou o fato tenha ficado de fora da entrevista. Se tivesse sido avisado,
certamente lá estaria. E teria várias perguntas a fazer ao prefeito. 
Recuso-me a
acreditar que a omissão em me convidar tenha sido proposital. Se foi, pior para
o autor da ideia. Perdeu-se uma boa oportunidade de passar o caso a limpo,
esclarecendo dúvidas. Parece, contudo, que a intenção ao chamar toda a
imprensa, m
enos o autor da matéria, era
nada esclarecer e até evitar a formulação de perguntas que não seriam
respondidas. Em coletivas, entrevistados raramente respondem com clareza o que
se pergunta. Se isso ocorreu, então foi muito bom não terem me convidado. Eu
provocaria um outro enredo, para não morrer de tédio· 
Quando mandei
a matéria para o Estadão, meus editores em São Paulo, inicialmente, se
recusaram a acreditar no que leram. Perguntaram por duas vezes se isso era
mesmo verdadeiro. Ao receber a confirmação, deram risadas. “Que coisa absurda”,
disse um deles. Outro, logo emendou: “e o prefeito aí de Belém, sabia que a
secretária dele não paga o IPTU, mesmo processada?”. 
Não pude
responder porque, sinceramente, não sei se o Zenaldo sabia do fato. Se soube e
nada fez, cometeu um grave erro. Se não soube, poderia corrigir o erro da
indicação, anunciando a demissão da indicada. “Isto vai virar piada nacional”,
tascou o editor. É, ele tinha razão. Somente na noite desta segunda-feira
recebi 14 ligações telefônicas de vários estados. Jornalistas queriam saber mais
detalhes do caso. Uma rádio de Belo Horizonte e outra de Porto Alegre colocaram
no ar o que falei.
Entre risos e
ironias, a maioria disse que Zenaldo deveria ter consultado uma bola de cristal
antes de nomear alguns de seus secretários. Um jornalista perguntou-me se o
prefeito iria demitir a secretária de Finanças. “E eu lá sei, não sou o
prefeito”, respondi. E ele, na bucha: “se o prefeito não demitir estará pedindo
para o contribuinte do IPTU em Belém dar o calote”. Tive que concordar. 
É, meus
amigos: Belém, lamentavelmente, virou piada nacional. E não fui eu quem a
criei. Apenas a reproduzi. Em forma de jornalismo.”

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *