0
Bom dia, amigos, aproveitem o feriado! No Dia do Trabalhador, a labuta diária do caboclo ribeirinho parauara, retratada por Tamara Saré em imagem pungente que traduz a vida na várzea amazônica.
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, presidente da Academia Paraense de Jornalismo, membro da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Petiscos caboclos

Anterior

Como nossos pais

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *