0
É grande a expectativa na Cia. Docas do Pará. Tem muita gente se mexendo, de olho na presidência e diretoria da estatal. Até quem já ocupou o cargo e acha que o momento é favorável para um retorno, por mais improvável que seja.
Aliás, já se sabe o porquê da queda do ministro dos Portos, Pedro Brito: além de se desentender com seus padrinhos Ciro e Cid Gomes, governador do Ceará, por causa das obras no Porto de Pecém, ele caiu em desgraça com o presidente nacional do PSB, governador Eduardo Campos (PE), ao levar para seu staff um funcionário demitido pelo próprio governador do Porto de Suape.

Como se sabe, manda quem pode e obedece quem tem juízo…
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, presidente da Academia Paraense de Jornalismo, membro da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Foice no escuro

Anterior

Sentinela da Amazônia

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *