A expectativa era grande em relação à ida do governador Helder Barbalho à Assembleia Legislativa para a leitura da Mensagem na instalação da 61ª Legislatura. Funcionou como uma espécie de termômetro da Casa, que abriga novos deputados na oposição, e…

Foram empossados hoje na Assembleia Legislativa do Pará os 41 deputados estaduais eleitos para a 61ª Legislatura (2023-2027). Em seguida houve eleição para a Presidência e a Mesa Diretora, em chapa única, tendo sido reeleito praticamente à unanimidade – por…

O governador Helder Barbalho está soltando a conta-gotas os nomes dos escolhidos para compor o primeiro escalão de seu segundo governo. Nesta quarta-feira será a posse dos deputados estaduais e federais e dos senadores, e a eleição para a Mesa…

Pela primeira vez na história, está em curso  um movimento conjunto da Academia Paraense de Letras, Academia Paraense de Jornalismo, Instituto Histórico e Geográfico do Pará e Academia Paraense de Letras Jurídicas, exposto em ofício ao governador Helder Barbalho, propondo…

TJE-PA concede liminar a Vavá

As Câmaras Criminais Reunidas confirmaram à unanimidade, hoje, liminar ao ex-deputado Osvaldo Reis Mutran, o Vavá Mutran, para que seja realizado exame de insanidade mental, antes de seu novo julgamento.
Vavá matou David Ferreira de Abreu, de 8 anos, quando o pequeno jogava futebol com os amigos num terreno ao lado da sua chácara, em Marabá. Testemunhas viram quando ele mandou a criança correr, deu dois tiros na cabeça do garotinho e ainda o chutou no chão. O menino morreu dentro da ambulância, a caminho do Hospital Municipal de Marabá.

Vavá Mutran foi absolvido, por maioria de votos, no primeiro julgamento, em 2005. Mas o Ministério Público do Estado recorreu ao Tribunal de Justiça e conseguiu anular a sentença, além de desaforar o novo júri para a capital. O julgamento marcado para o último dia 9 de junho foi adiado em razão da concessão da liminar. A defesa do réu sustenta que Vavá, hoje com mais de 80 anos, sofre de mal de Alzheimer e demência e que, por isso, não pode ser levado a julgamento. A relatora do habeas corpus foi a desembargadora Vânia Bitar.
 
Detalhe: se ele não for julgado este ano, o crime prescreverá e ele garantirá a impunidade pelo crime monstruoso que cometeu.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *