0

Imagine o meu final de semana, Franssi, aqui em Óbidos… Para não falar que houve um furto em minha casa, de objetos de valor, e, quando comuniquei a polícia, requerendo diligências, fui informada que deveria proceder eu mesma às investigações, porque não há investigador na cidade(!!??). Me sinto no meio de um filme de faroeste aqui nesta terra, onde o abandono e o uso desenfreado de drogas têm imperado. Não dá nem para ser ufanista. Se eu fosse um poeta e vivesse de escrever elegias, estaria perdida.
(De Shirlei, comentarista do blog, relatando a situação dramática em Óbidos, onde os cidadãos estão literalmente entregues à própria sorte).
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, presidente da Academia Paraense de Jornalismo, membro da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Poluição desenfreada

Anterior

Fim da linha

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *