0
Seurb, Sesan, Vigilância Sanitária e, sobretudo, o prefeito de Belém têm que ser chamados às falas urgentemente pelo MP. Depois de anos de vai-não vai, retiraram a imundície denominada Praça de Alimentação da Praça da República, reformaram prédio em frente ao logradouro, cadastraram e instalaram os ambulantes. Devagarinho, na esteira da falta de fiscalização e do respeito ao contribuinte, tudo voltou à estaca zero. Ontem, o entorno do Theatro da Paz e a lateral da praça, ao largo da avenida Assis de Vasconcelos, estavam totalmente tomados por baiúcas vendendo comida (?!), de quebra contribuindo para aumentar o lixo, os ratos e as doenças.
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, presidente da Academia Paraense de Jornalismo, membro da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Pobre Pará!

Anterior

Tapajós no Tocantins

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *