Para marcar os quinze anos de criação das Florestas Estaduais de Faro, Trombetas e Paru, da Estação Ecológica Grão-Pará e da Reserva Biológica Maicuru, na Calha Norte, hoje (4), o Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) lançou…

Lançamentos literários, apresentações de teatro, oficinas voltadas para as culturas pop e japonesa, arrecadação de livros, atividades pedagógicas e lúdicas direcionadas ao público infantil, entre outras ações, estão no cardápio de cultura e arte servido aos visitantes do estande da…

O procurador do Ministério Público do Trabalho Sandoval Alves da Silva tomou posse na chefia da Procuradoria Regional do Trabalho da 8ª Região para o biênio de 2021-2023 enfatizando o papel decisivo do MPT na garantia dos direitos humanos. O…

Prevaleceu o bom senso e o cuidado com as pessoas. O prefeito Edmilson Rodrigues ouviu o secretário municipal de Saúde, Maurício Bezerra, e técnicos responsáveis pela vacinação e enfrentamento à Covid-19, e cancelou os desfiles das escolas de samba, blocos…

Senador desaparecido

“Numa pequena embarcação, o senador Gilvam Borges (PMDB-AP) saiu ontem do município de Amapá com destino à comunidade de Sucuriju. Não chegou à comunidade, não retornou ao Amapá, ninguém tem notícias do que pode ter acontecido.

O jornalista Reginaldo Borges, irmão do senador, contou ao blog que Gilvam saiu de Amapá numa lancha voadeira às 12h de ontem e que deveria chegar em Sucuriju no final da tarde, pois são quatro horas de viagem.

Hoje, por volta das 11h da manhã, Reginaldo foi avisado de que Gilvam não havia chegado ao Sucuriju. “Não temos informação nenhuma, não sabemos o que pode ter acontecido”, disse Reginaldo ao blog.

De acordo com Reginaldo, dois aviões, do tipo monomotor, já estão sobrevoando a área e a Prefeitura de Amapá já cedeu duas voadeiras para ajudar nas buscas.

A família está concentrada na Rádio 102, uma das emissoras do grupo de comunicação dos Borges.

A mãe do senador, Cícera Borges, ainda não foi informada do possível desaparecimento da embarcação. “Queremos poupá-la”, disse Reginaldo.

Para ir ao Sucuriju a embarcação navega incialmente pelo rio Amapá e depois vai contornando a costa do Oceano. Essa é uma das regiões onde acontece o fenômeno da Pororoca.”

(Relato de Alcinéa Cavalcante, blogueira do Amapá)

Atualização: o senador chegou bem ao seu destino. Estranhamente, sua assessoria e nem a família informaram até agora o que houve, exatamente.


Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *