0
O Senado reativou a subcomissão de acompanhamento da UHE-Belo Monte, a partir da aprovação, ontem, na reunião da Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle, de requerimento do senador Flexa Ribeiro(PSDB-PA). O empreendimento está com o cronograma atrasado: deveria, segundo as previsões iniciais, começar a gerar energia elétrica em fevereiro deste ano e agora entrou no foco das investigações da Operação Lava-Jato. De acordo com o diretor-presidente da Camargo Corrêa, Dalton Avancini, o consórcio construtor já pagou mais de R$ 100 milhões em propina.
Numa hora destas, em que o Pará está sofrendo por conta da crise energética no sul/sudeste, é melhor ficar de olho nas obras da usina. Por conta dos sucessivos atrasos, o custo inicial, de R$ 16 bilhões, saltou para R$ 30 bilhões e pode aumentar ainda mais. 

A subcomissão temporária, instalada em 2011, tem por objetivo garantir o cumprimento dos programas de mitigação e compensação dos impactos gerados pelo empreendimento. De acordo com a população local, grande parte das condicionantes não está sendo respeitada.

Quando todas as 24 turbinas estiverem funcionando, a capacidade instalada da UHE-Belo Monte será de 11.233 megawatts. Mas, como o governo federal optou por instalar reservatórios pequenos, a média de geração de energia da usina será de só 4.571 MW.
Em relatório entregue ao Ibama, o Consórcio Construtor de Belo Monte informa que tem como meta iniciar o enchimento do lago no mês de setembro para que no final deste ano entre em operação a primeira turbina da hidrelétrica.
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Alepa aperta Celpa e Aneel pela tarifa

Anterior

Tempos de conciliação na Alepa

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *