A empresa de ônibus Belém-Rio, que faz a linha para o distrito de Outeiro – Ilha de Caratateua, em Belém, aparentemente está falida e reduziu pela metade a sua frota, causando enorme sofrimento aos usuários do transporte coletivo. O serviço,…

A Cosanpa abriu nada menos que seiscentos buracos imensos nos bairros mais movimentados de Belém, infernizando a vida de todo mundo com engarrafamentos e causando graves riscos de acidentes, principalmente porque chove sempre, e quando as ruas alagam os buracos…

O Procurador-Geral de Justiça César Mattar Jr. inaugurou nesta quinta-feira, 16, o Núcleo Eleitoral do Ministério Público do Estado do Pará, que vai funcionar na sede das Promotorias de Justiça de Icoaraci, distrito de Belém. O coordenador será o promotor…

A desembargadora Maria de Nazaré Saavedra Guimarães, que se destaca pelo belo trabalho que desenvolve à frente da Comissão de Ações Judiciais em Direitos Humanos e Repercussão Social do Tribunal de Justiça do Estado do Pará, e que já coordenou…

Santarém da memória

Lançado em fevereiro, o projeto Produção de Réplicas e Catalogação dos Prédios Históricos de Santarém expõe miniaturas em gesso e argila, réplicas dos prédios históricos da cidade, em 65 peças produzidas por 20 artesãos santarenos, que participaram de oficinas preparatórias. Alguns monumentos também já contam com placas indicativas. O primeiro a ser catalogado foi a igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição. Logo em seguida foi a vez do Centro Cultural João Fonna, construído entre os anos de 1853 e 1862. Até o dia do aniversário de Santarém, 22 de junho, mais dez prédios receberão placas de identificação. Também será lançada a revista Patrimônio Histórico e Arquitetônico de Santarém, com uma síntese histórica. Na última etapa do projeto, estão previstas visitas monitoradas dos alunos da rede pública a esses locais.
A intenção é apresentar, preservar e divulgar a memória da cidade, com registro do patrimônio histórico e arquitetônico ainda existente em Santarém – cerca de cem prédios e monumentos construídos no final do século XIX e início do XX. Alguns ainda têm bom estado de conservação, mas muitos estão ameaçados de demolição, completamente abandonados, outros foram descaracterizados e não preservam mais a estrutura original.
A iniciativa é da FIT – Faculdades Integradas do Tapajós, com patrocínio da Mineração Rio do Norte -MRN.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *