Não houve o célebre círio fluvial de Oriximiná no rio Trombetas este ano, por causa da pandemia, mas a imagem de Santo Antônio flanou pelas águas, levada pela comunidade de várzea do Rio Cachoeiry, que celebrou o verão depois da…

Aprender mais sobre as boas práticas Lixo Zero e como aplicá-las no dia a dia, repensando hábitos de consumo e inspirando a população a enxergar os seus resíduos com dignidade é o que propõe a programação que acontecerá entre os…

Aprovado à unanimidade pela Assembleia Legislativa, o projeto de lei nº 245/2021, de autoria do Poder Executivo, dispondo sobre a denominação do Arquivo Público do Estado do Pará, em homenagem ao jurista e professor paraense Zeno Augusto de Bastos Veloso,…

Ontem duas famílias viveram momentos de terror, vítimas de assalto à mão armada por volta das 13 horas, durante passeio no Parque do Utinga, um dos lugares mais lindos de Belém e importante equipamento turístico parauara. Trata-se do oitavo roubo…

Recital 401 para Belém do Pará


A contralto Gabriella Florenzano solta de novo sua voz rara, escura e grave em Belém, no próximo dia 12 de janeiro, em homenagem aos 401 anos da cidade, no Museu do Estado do Pará, às 19:30h, acompanhada pela pianista Leandra Vital, com participação especial do clarinetista e saxofonista Marcos Cardoso Puff. O repertório é bem eclético: tem Camargo Guarnieri, Bach, Schumann, Mozart, Gabriel Fauré, George Gershwin, Tó Teixeira e Waldemar Henrique, além de uma composição do maestro Altino Pimenta dedicada à veneranda professora Helena Lenita Lira Maia e o solo “Rio Guajará Mirim”, música minimalista de Marcos “Puff” inspirada pelo rio que banha a histórica cidade de Vigia de Nazaré. 

O recital lírico “401” abre oficialmente a temporada 2017 do programa “Bravíssimo”, do Museu do Estado do Pará, tem entrada gratuita e é uma realização do Governo do Estado, via Secretaria de Estado de Cultura e Sistema Integrado de Museus e Memoriais do Pará.

Importante registrar nestes tempos de ódio e intolerância: o espetáculo é um presente para Belém, os artistas não receberão cachê do governo e nem da prefeitura, estão sendo patrocinados por pessoas que amam a música e o trabalho deles e ajudam anonimamente.

Na foto de Celso Lobo, Gabriella Florenzano no Theatro da Paz. Figurino de Beth Couto/Bavieka. Foto de Leandra Vital por Jean Brito e de Marcos Puff por Jennifer Pasquier 

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *