0
Que a pressa é inimiga da perfeição, todo mundo sabe. Mas o Judiciário parece ter esquecido. Não à toa, no frenesi para cumprir a Meta 2 estipulada pelo CNJ, coisas de deixar o cabelo em pé aconteceram e agora vão demandar mais burocracia ainda. Por exemplo, petições e provas deixaram de ser juntadas e juízes sentenciaram com o que constava nos autos, é claro. Agora, depois do susto e revolta dos condenados, vêm as ações rescisórias para consertar os julgados.
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Dica de bom gosto

Anterior

Denunciem o descumprimento

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *