0

Titular da cadeira 65 do Instituto Histórico e Geográfico do Pará e diretora da Cátedra João Lúcio de Azevedo da Universidade Federal do Pará, integrada ao Instituto Camões de Portugal, a professora doutora Nazaré Sarges recebeu das mãos do reitor da UFPA, professor doutor Emmanuel Tourinho, o título honorífico de Professora Emérita. A solenidade de outorga foi na sexta-feira, 10, às 17h, no Auditório do Instituto de Ciências Jurídicas, setor profissional do campus Guamá.

Com uma carreira de quase meio século de dedicação ao magistério superior, a professora Nazaré Sarges é uma das mais destacadas intelectuais do Pará e pessoa muito querida por todos que a conhecem.

O título foi proposto ao Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão (CONSEPE) pelo Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH).

Ao longo da jornada como docente, Nazaré Sarges atuou no IFCH em prol “da constituição da área de História e da consolidação da Universidade que temos hoje”, destaca o parecer que recomendou a aprovação da concessão do título, assinado pela conselheira Maria Ataíde Malcher. Naná, como é carinhosamente chamada na academia, é a 52ª docente da instituição a receber a honraria, a nona do sexo feminino.

Na Universidade, o título de Professor(a) Emérito(a) é concedido a docentes que tenham contribuído de forma significativa para o desenvolvimento institucional, com forte atuação na área de ensino, pesquisa e extensão.

Nazaré Sarges orientou 98 graduados, 16 bolsistas de Iniciação Científica, 18 bolsistas do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID), 10 especialistas; 13 mestres e 7 doutores. Foram 11 projetos de pesquisa liderados e 15 livros publicados, com destaque para “Belém: Riquezas Produzindo A Belle-Epoque, 1870-1912 (Coleção Açaí)”, obra pioneira e referência para os estudiosos do tema.

Ela chefiou o Departamento de História, coordenou e foi vice-coordenadora de cursos de especialização e coordenadora do Doutorado Interinstitucional (DINTER) em História, realizado pela UFPA em parceira com a Pontifícia Católica (PUC) de São Paulo. Por oito anos, foi diretora-geral do IFCH e integrou o grupo de professores que desenvolveu o Programa de Interiorização implementado na década de 1980.

“Não resta dúvida de que a professora Sarges compôs o núcleo embrionário da pesquisa na área, e atualmente muito do que foi iniciado por ela destaca a UFPA na área de História”, sublinha o parecer de recomendação.

Nas fotos, a homenageada com seus pares do IHGP, que foram prestigiá-la.

Foto principal: Walda Marques

Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Monomotor caiu em Barcarena

Anterior

Edital Cidades Amazônicas

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *