0

É gritante a falta de acesso de proprietários de embarcações da região amazônica aos financiamentos operados pelo Basa, BB e BNDES com recursos subsidiados do Fundo de Marinha Mercante. Em 2007, menos de 10% dos recursos do Fundo foram contratados na região Norte, que concentra metade das hidrovias do país.

Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, presidente da Academia Paraense de Jornalismo, membro da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Frente Pró-Hidrovias e Portos do Pará

Anterior

Capital fona

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *