0

Em audiência pública que está começando agora no plenário João Batista, da Assembléia Legislativa, será discutida a denúncia de que algumas empresas de navegação no Pará estariam contratando empregados estranhos à categoria dos portuários, infringindo a Lei 8.630/93, que assegura aos trabalhadores avulsos – estivador, conferente, consertador, vigia, arrumador, entre outros – dos portos o direito à prestação de serviços.

Foram convidados o Sindicato dos Arrumadores do Pará, Sindicato dos Operadores Portuários, Ministério Público do Trabalho, Ministério do Trabalho, Delegacia Regional do Trabalho, Órgão Gestor de Mão de Obra do Pará, Albrás e Transnav, para que discutam o assunto e encontrem uma solução ao problema. A iniciativa é do deputado Arnaldo Jordy (PPS).

Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Pedofilia e abuso

Anterior

A caixa preta

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *