0

Há pelo menos oito anos a ponte sobre o rio Pitiritá, na comunidade Cachoeiras, que fica a cerca de 40 km da cidade de Paragominas, no sudeste paraense, está em péssimas condições. Na manhã desta quinta-feira, 29 de fevereiro de 2024, nem motociclistas se arriscavam a transitar na ponte, que estava balançando e só com uma tábua apodrecida a título de pinguela. Por volta das 18h, toda a estrutura, que estava apodrecida, desabou.

Em 2018 a força da água do rio arrastou duas colunas de madeiras. Devido a correnteza, as vigas das colunas ficaram balançando e se soltando aos poucos. Em março de 2019, a ponte sofreu mais danos na estrutura por causa das chuvas. O local ficou vários dias interditado para a manutenção, o que deixou as famílias isoladas.

Em 2020, 2021, 2022 e 2023 tudo se repetiu, sem que a prefeitura tomasse alguma providência definitiva. Assistam aos vídeos.

Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, presidente da Academia Paraense de Jornalismo, membro da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Hana fala sobre o andamento das obras para a COP30

Anterior

Nosso dia bissexto

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *