Governador do Pará e presidente do Consórcio de Governadores da Amazônia Legal, Helder Barbalho está com agenda intensa em Brasília, e em reunião com Lula nesta sexta-feira (27) apresentou documento proposto pelo CAL. Para o desenvolvimento regional do bioma amazônico,…

O Papa Francisco nomeou o atual bispo da prelazia de Marajó (PA), Dom Evaristo Pascoal Spengler, bispo de Roraima (RR), que estava sem titular há um ano, desde a transferência de Dom Mário Antônio da Silva para a arquidiocese de…

Utilizar o futebol como ferramenta de transformação social para crianças e adolescentes de todo o Pará é o objetivo do projeto "Futebol Formando Cidadão", que será lançado neste domingo (29) no oeste paraense. A iniciativa é do Tapajós Futebol Clube,…

No próximo sábado, 28, é o Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo. Esta semana, foram divulgados dados da Secretaria de Inspeção do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) referente a 2022, quando foram resgatados 2.575 trabalhadores em condições análogas…

Passando a limpo

O deputado Manoel Pioneiro (PSDB) deve aproveitar a situação de crise em que recebeu a presidência da Alepa para passar à História como o que conseguiu saneá-la.
Parlamentares e servidores, em sua maioria, são honestos e, por isso mesmo, precisam ser desagravados num momento em que há tantas denúncias de ilícitos a apurar.
A investigação completa e a punição rigorosa dos culpados, com devolução do dinheiro público desviado, tem dupla função: revela à sociedade o joio e o trigo, e que o Legislativo é capaz de se depurar e cumprir à risca os princípios constitucionais da administração pública: legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência.
Tudo precisa ser passado a limpo, em atuação conjunta do MPE, MPT e MPF. Não dá para simplificar as coisas com uma mera sindicância ou mesmo Processo Administrativo Disciplinar. Há muito o que esclarecer, em benefício da própria respeitabilidade do Poder.
No plano da folha de pessoal, falsificação de contracheques próprios, contracheques de mortos, contracheques de laranjas, divisão salarial (com dublê de corpo: um na Alepa e outro em local diverso, que pode ser órgão público ou empresa privada); servidores fantasmas, salários de marajás; efetivados na marra; progressão funcional (não existe em lei); e acúmulo ilegal de gratificações são apenas a ponta de um imenso iceberg que remonta a décadas.
Na esfera administrativa e financeira: atuação de lobistas, licitações e contratos de Vale Alimentação e Vale Combustível, prestação de serviços de limpeza e conservação; fornecedores de equipamentos, suprimentos, peças, assistência técnica de informática; serviços de manutenção de elevadores; de móveis e material de expediente.  

Defendo que todos os órgãos de fiscalização passem um pente fino na Alepa, em todas as Câmaras Municipais e nas Prefeituras do Pará.  São as nossas esperanças de dizer com dignidade que somos paraenses e que sabemos exigir e fazer valer nossos direitos de cidadãos.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *