O Procurador-Geral de Justiça César Mattar Jr. inaugurou nesta quinta-feira, 16, o Núcleo Eleitoral do Ministério Público do Estado do Pará, que vai funcionar na sede das Promotorias de Justiça de Icoaraci, distrito de Belém. O coordenador será o promotor…

A desembargadora Maria de Nazaré Saavedra Guimarães, que se destaca pelo belo trabalho que desenvolve à frente da Comissão de Ações Judiciais em Direitos Humanos e Repercussão Social do Tribunal de Justiça do Estado do Pará, e que já coordenou…

Brega no Pará é coisa séria. Tem Brega Pop, Brega Calypso, Brega Marcante, Brega Saudade, Tecnobrega, Melody, Tecnomelody … Verdadeiro hino (música oficial dos 400 anos de Belém), não há quem desconheça o clássico Ao Por do Sol, eternizado na…

Uma reunião no Ministério Público do Estado do Pará colocou em pauta a situação caótica da Unidade de Conservação Estadual Área de Proteção Ambiental da Ilha do Combu, onde proliferam construções e empreendimentos comerciais irregulares, transporte fluvial desordenado, festas e…

O inimaginável acontece

O juiz federal da 3ª Vara Especializada em Ações Criminais, Rubens Rollo D’Oliveira, foi preso por volta das 10h30, na praça Batista Campos, em Belém. Ele teria brigado com a esposa e, ao ser contido por policiais, desacatado os agentes da lei. Segundo o cabo R. Silva, da PM, o juiz precisou ser algemado para ser levado para a Seccional da Cremação, onde os delegados Duarte e Nicolau Neto avaliam o caso.
A detenção do juiz foi realizada pela cabo Amélia e o soldado Coutinho, da 4ª ZPol, que estavam fazendo o policiamento na praça quando foram atender o chamado de guardas municipais de Belém que foram avisados da agressão do juiz contra a mulher. Ela foi encaminhada para a Delegacia da Mulher.
Conforme relato policial, após empurrar a esposa o juiz teria lhe dado um soco na altura do estômago. Em sua defesa, disse que ela é que teria batido nele, por isso procurou a Guarda Municipal. Mas durante o procedimento houve uma discussão que teria resultado no desacato aos policiais.
O casal está em processo de separação. Ao receber voz de prisão, o magistrado teria se identificado, dito que não poderia ser preso, e xingado os policiais, acusando-os de abuso de autoridade.
O juiz federal Rubens Rollo D’Oliveira é muito conhecido, respeitado e admirado pelos processos de grande repercussão contra o crime organizado, em que teve atuação exemplar. Foi quem decretou a prisão do ex-superintendente do Ibama, Paulo Castelo Branco, recentemente.
As informações são do plantão do Diário do Pará.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *