0
Colar Açaí. Foto: Almir Pastore – AuDITIONS Brasil 2012 AngloGold Ashanti/Divulgação

 Colar “Fogos II”. Foto: Ocione Garçon/Divulgação

Colar “Nazaré”. Foto: Ocione Garçon/Divulgação


Muita gente não sabe, mas em Belém é possível apreciar – e comprar! – joias exclusivas, de beleza ímpar, feitas com materiais inusitados que remetem às origens amazônicas. E o que é melhor ainda, por um preço acessível. Sementes, madeira, miriti, fibra de curauá, tecidos e muitas gemas, inclusive em estado bruto ou semibruto (não lapidadas) se juntam ao ouro, à prata e outros metais, e resultam em obras de arte. Selma Montenegro é premiada designer de joias vinculada ao Polo Joalheiro do Pará desde a inauguração do Espaço São José Liberto, em 2002. Marajoara do município de Afuá, apesar de os colares serem o ponto forte do seu trabalho, cria outras peças, como anéis, brincos, broches, pulseiras e pingentes, onde estão presentes o grafismo marajoara da cerâmica e a religiosidade do povo paraense, utilizando técnicas como a marchetaria.

Em 2006, num concurso com repercussão internacional, promovido pelo IBGM-Instituto Brasileiro de Gemas e Metais Preciosos, Selma foi a primeira designer de joias do norte do Brasil a figurar entre os profissionais selecionados e ficou entre os melhores do País com o colar “Fruto da Terra”, inspirado no açaí. O certame foi divulgado em 33 países.
Em 2008, também no Prêmio IBGM, esteve entre os 10 melhores do Brasil na categoria Arquitetura Brasileira, com o colar “Ver-o-Peso”, inspirado na maior feira livre da América Latina.
No mesmo ano, Selma participou do “I Prêmio de Design em Joias do Pará”, promovido pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas – Sebrae/PA. Obteve o segundo lugar na categoria profissional, com o colar “Dança das Cores” (inspirado no tema do concurso, carimbó).
Sua trajetória brilhante lhe rendeu, em 2010, a homenagem na 29ª edição do “Mulher Padrão do Pará”, r
epresentando o setor joalheiro na premiação.
Em 2012, no concurso internacional “AuDITIONS Brasil”, criado há doze anos na África do Sul, promovido pela mineradora Anglo Gold Ashanti e realizado bianualmente também na China, Índia, África do Sul e Emirados Árabes, entre os 1.386 inscritos em 23 Estados, Selma Montenegro foi finalista 
na categoria “Prêmio AuDITIONS” com o colar “Açaí”, inspirado no fruto de mesmo nome.

Com a simpatia típica dos parauaras nascidos no arquipélago do Marajó, Selma recebe os visitantes pessoalmente na sua loja “Montenegro’s”, no espaço São José Liberto, antigo presídio São José, em Belém, que deixou de ser um local sombrio e de doídas lembranças para abrigar, mais do que a riqueza dos metais e pedras preciosas, um tesouro maior, que é a cultura amazônica. 

Serviço: criação e confecção de joias. Aceita peças por encomenda. Contatos: (91) 9145 1525 (91) 3252 2758. Selma Montenegroselmamontenegro@hotmail.com; selmamontenegro@hotmail.com. O Espaço Cultural São José Liberto/Polo Joalheiro/Museu de Gemas do Pará fica na Praça Amazonas, s/nº, bairro do Jurunas, Belém-Pará-Brasil. O horário de visitação vai de terça a sábado, de 9h às 19h; e aos domingos e feriados, de 10h às 18h.
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Coisas que só acontecem comigo

Anterior

Manifesto do Bispo do Marajó ao MPE-PA

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *