0
Vejam só que bacana: sob a orientação do pesquisador Wolmar Benjamin Wosiacki, curador da coleção de ictiologia do Museu Goeldi, os trabalhos “Descrição de uma nova espécie do gênero Hemigrammus (Characiformes: Characidae)”, da bolsista Tamires Viana; “Descrição de uma nova espécie de Tetranematichthys (Siluriformes; Auchenipteridae)”, do bolsista Luiz Antônio Peixoto; e “Descrição de uma nova espécie do gênero Hyphessobrycon (Characiformes: Characidae)”, da bolsista Marilena Carvalho da Silva; revelam que a região amazônica ainda tem muito de sua fauna a ser descoberta.

Uma nova espécie de peixe, encontrado no município de Chaves, pode contribuir para a economia e a preservação da região. O gênero Hemigrammus é muito utilizado como alimento e na ornamentação de aquários. Já o segundo trabalho tratou de uma espécie encontrada no Rio Trombetas e Rio Negro, que tem como uma característica a presença de manchas escurecidas pelo corpo. A última espécie de peixe descrita tem como principal característica a capacidade de se adaptar em condições de baixo oxigênio. Ela pode ser encontrada em rios e lagos da África e América do sul, em especial no Rio Amazonas.

Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, presidente da Academia Paraense de Jornalismo, membro da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Aves de arribação

Anterior

Santa Casa contrata

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *