Não houve o célebre círio fluvial de Oriximiná no rio Trombetas este ano, por causa da pandemia, mas a imagem de Santo Antônio flanou pelas águas, levada pela comunidade de várzea do Rio Cachoeiry, que celebrou o verão depois da…

Aprender mais sobre as boas práticas Lixo Zero e como aplicá-las no dia a dia, repensando hábitos de consumo e inspirando a população a enxergar os seus resíduos com dignidade é o que propõe a programação que acontecerá entre os…

Aprovado à unanimidade pela Assembleia Legislativa, o projeto de lei nº 245/2021, de autoria do Poder Executivo, dispondo sobre a denominação do Arquivo Público do Estado do Pará, em homenagem ao jurista e professor paraense Zeno Augusto de Bastos Veloso,…

Ontem duas famílias viveram momentos de terror, vítimas de assalto à mão armada por volta das 13 horas, durante passeio no Parque do Utinga, um dos lugares mais lindos de Belém e importante equipamento turístico parauara. Trata-se do oitavo roubo…

Nota do Sinjor-PA sobre agressão a jornalistas

“O Sindicato dos Jornalistas no Estado do Pará (Sinjor-PA) repudia veementemente a violência sofrida pelos jornalistas Andersen Luiz Arantes Neto (repórter), Antônio Marcos Sales (repórter cinematográfico) e Mickael Rodrigues dos Santos (repórter fotográfico) em Redenção. Eles foram agredidos pelo atual prefeito do município e candidato à reeleição pelo PMDB, Carlo Iavé Furtado de Araújo, durante gravação do programa político da Coligação “Redenção Pode Mais”, que apoia o candidato Mário Moreira (PSDB) para a Prefeitura Municipal de Redenção. 

A equipe estava em pauta gravando sonoras de apoio e entrevistas espontâneas no bairro Vila das Pedras, e entrevistava uma eleitora de Mário Moreira, ex-prefeito de Redenção, quando foi surpreendida com a chegada do atual gestor municipal, acompanhado por mais duas pessoas. Ao se aproximar dos jornalistas, Carlo Iavé questionou duas vezes a entrevistada se estava sendo coagida a falar mal dele. A senhora respondeu que não e que estava falando sobre o candidato Mário Moreira. 

De repente, o prefeito desferiu um chute para atingir o cinegrafista e um soco no fotógrafo e repórter, resultando numa grande confusão, incluindo falta de respeito à idosa de 82 anos, juntamente com sua filha de 50 anos, que estavam concedendo a entrevista para o programa eleitoral.
Ievé chegou a ir para o carro e mencionou pegar uma arma quando assessores o interpelaram e ainda assim saiu correndo uma segunda vez atrás da equipe, quando tropeçou, caiu no chão e machucou sua própria mão. 

Os jornalistas fizeram boletim de ocorrência, a coligação política solicitou providências por parte das autoridades de Segurança Pública e reforçou a segurança particular dos profissionais, que vêm recebendo ameaças pelas redes sociais e aplicativos de mensagens. 

O Sinjor-PA repudia toda e qualquer iniciativa de impedir o direito ao exercício do profissional jornalista, bem como não admite de nenhuma forma a violência contra jornalistas. Portanto, esse é mais um caso de violência contra jornalista que integrará o Relatório de Violência contra Jornalista editado anualmente pela Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj). De acordo com o Relatório de 2015, os políticos, assessores e parentes ocupam o segundo lugar dos principais agressores dos jornalistas, com 15,33% dos casos registrados. Em primeiro lugar vêm os policiais militares com 20,44% dos casos e, em terceiro lugar, os manifestantes com 13,87%. 

O Sinjor-PA se solidariza com os jornalistas agredidos e coloca sua assessoria jurídica à disposição para orientações, assim como enviará ofício à Secretaria de Estado de Segurança Pública (Segup) solicitando rigor na apuração dos fatos para que o responsável seja punido.”

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *