Vanete Oliveira, 28 anos, mãe de cinco filhos, vive em Portel, município do arquipélago do Marajó(PA). Ela sofre há catorze anos dores atrozes além do desconforto, trauma e todo tipo de dor física e psicológica, por conta de um tumor…

As Diretorias de Combate à Corrupção e de Polícia do Interior da Polícia Civil do Pará prenderam hoje (28), no Distrito Federal, durante a Operação "Litania”, uma falsa empresária e sócios-proprietários que utilizavam empresa de fachada como instituição financeira para…

A Secretaria de Estado da Fazenda do Pará publicou extrato de dispensa de licitação para contratar a Prodepa, por R$800.427,88, a fim de desenvolver novo site da Transparência do Governo do Pará, com criação de nova arquitetura de informação, navegação…

Andar de motocicleta proporciona histórias, experiências e adrenalina. Motos oferecem facilidade de locomoção rápida e de conseguir estacionamento. Mas a liberdade é, sem dúvida, o motivo número 1 de todo motociclista. Sentir o vento, o clima, fazer parte da paisagem. Este é…

Não tentem fazer em casa

Esta história aconteceu em outubro de 2006 e só agora foi divulgada. Um homem de 37 anos entrou em um hospital em Glasgow, na Escócia, queixando-se de uma dor de cabeça que não passava e de estar vendo tudo rodando. Os sintomas já duravam quatro semanas. Depois de exames e perguntas, os médicos, perplexos, deram o diagnóstico: era a maior ressaca da história. Ele havia consumido 60 canecas de cerveja (cerca de 35 litros) durante quatro dias, depois de uma “crise doméstica”. Os médicos concluíram que a grave desidratação causada pelo álcool tinha provocado uma rara trombose cerebral. Demorou mais de 6 meses para que o tratamento de afinamento do sangue acabasse com as dores de cabeça e devolvesse a visão normal ao azarado cervejeiro.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *