Começou hoje (27) às 8h e segue até às 17h a votação nas prévias do PSDB para escolher seu candidato à Presidência da República. O resultado, se tudo correr bem, deve ser anunciado às 20h. O partido passou a semana…

Em uma aula prática da Faculdade de Medicina da Unifamaz, ontem, o professor Marcus Vinícius Henriques de Brito, visivelmente impaciente com a aluna que deveria demonstrar intubação em um boneco, questionou a falta de lubrificação prévia do paciente, ao que…

Na quarta-feira passada, dia 24, a audiência pública na Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara Federal, em Brasília, era para discutir a gravíssima situação na Terra Indígena Yanomami, mas o clima de enfrentamento entre bolsonaristas e lulistas inviabilizou…

O prefeito Edmilson Rodrigues anunciou que Belém tem condições de fazer o Carnaval 2022, após reunião hoje (25) à tarde com representantes das escolas de samba e blocos carnavalescos. Ele acredita que com mais de 80% de pessoas vacinadas contra…

Não há de perdurar

É uma vergonha a situação dos habitantes das 39 ilhas da Região Metropolitana de Belém. Falta-lhes o mínimo previsto na Carta Internacional dos Direitos do Homem e do Cidadão proclamada em 1789, quanto mais os direitos sociais e individuais previstos na Constituição Federal de 1988. Nossos ribeirinhos, desgraçadamente, ainda vivem aquém das conquistas do século XIII.

O momento, aliás, é oportuno para desnudar a realidade da RMB: no pior estilo cada um por si e Deus por todos, os municípios não têm políticas públicas em comum, cada prefeito puxa a brasa para o seu lado e a população que se lixe.

Há trinta anos se discutia a necessidade de tratamento de lixo conjunto nas áreas metropolitanas. Aqui, na nossa Belíndia, o lixo acumula e apodrece nas vias públicas, malgrado os contratos milionários para sua coleta regular.

Saúde não há como ter, com as famílias passando fome, morando em palafitas e as crianças brincando na lama, os pronto-socorros sem recursos humanos e equipamentos, sem estrutura física e com desvio histórico das verbas.

Educação é um luxo inacessível: nas escolas públicas os banheiros são quebrados e sequer têm água. Nas salas de aula, professores descontentes e desesperançosos; alunos desmaiam de fome, principalmente nos turnos da noite, e muitos remam em suas canoas no trajeto de ida e volta.

Dignidade, cidadania, onde?!

A quem interessa manter o povo na miséria física, intelectual e moral, a tal ponto que se submeta a manter o status quo político a cada eleição?

Digamos não ao assistencialismo, repilamos os que lucram com a ignorância para se perpetuar no poder, mostremos a força do voto consciente nestas eleições.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *