0

O ministro do STJ e corregedor nacional de Justiça, Cesar Asfor Rocha, defendeu, em Manaus, na 4ª Jornada Jurídica, a redução drástica na concessão da prerrogativa do foro privilegiado, como forma de combater a morosidade do Judiciário brasileiro. Hoje, o privilégio beneficia o presidente e o vice-presidente da República, senadores, deputados, ministros, magistrados, governadores e prefeitos.

Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, presidente da Academia Paraense de Jornalismo, membro da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Boto às avessas

Anterior

Oriximiná e Itaituba

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *