0
Johnny Yguison Silva ficou paraplégico aos 12 anos, baleado por um policial, em 2001. Sua família, em ação judicial, obteve acordo em 2008 com o Governo do Estado, que se comprometeu em juízo a pagar este ano indenização de R$ 200 mil, além do tratamento médico. Depois de uma semana amargando falta de leito no Ofir Loyola, literalmente jogado na calçada do hospital, Johnny, que é paciente renal crônico e precisava desobstruir a uretra, só ontem à tarde foi submetido a cirurgia. E olhe que seu advogado, Walmir Brelaz, é petista histórico, assessor do deputado Carlos Martins (PT) – irmão da prefeita de Santarém, Maria do Carmo Martins Lima -, e vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB-PA. Imaginem a situação de quem não tem ninguém por si.
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, presidente da Academia Paraense de Jornalismo, membro da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

A revolução dos livros

Anterior

Estatística cruel

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *