0

Fazer das farmácias um local onde se encontra do fogão ao avião é ideia temerária. As novas regras para comercialização de medicamentos no Brasil entram em vigor hoje: nada de remédios nas prateleiras, nem vender bijuterias e alimentos, prestar serviços “alheios” à atividade, como podologia, menos ainda atuar como correspondente bancário. Mas é claro que grandes redes de drogarias já acionaram o Judiciário em busca de liminares contra a resolução da Anvisa.

Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Último chefe do SNI

Anterior

Demos à flor da pele

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *