O Procurador-Geral de Justiça César Mattar Jr. inaugurou nesta quinta-feira, 16, o Núcleo Eleitoral do Ministério Público do Estado do Pará, que vai funcionar na sede das Promotorias de Justiça de Icoaraci, distrito de Belém. O coordenador será o promotor…

A desembargadora Maria de Nazaré Saavedra Guimarães, que se destaca pelo belo trabalho que desenvolve à frente da Comissão de Ações Judiciais em Direitos Humanos e Repercussão Social do Tribunal de Justiça do Estado do Pará, e que já coordenou…

Brega no Pará é coisa séria. Tem Brega Pop, Brega Calypso, Brega Marcante, Brega Saudade, Tecnobrega, Melody, Tecnomelody … Verdadeiro hino (música oficial dos 400 anos de Belém), não há quem desconheça o clássico Ao Por do Sol, eternizado na…

Uma reunião no Ministério Público do Estado do Pará colocou em pauta a situação caótica da Unidade de Conservação Estadual Área de Proteção Ambiental da Ilha do Combu, onde proliferam construções e empreendimentos comerciais irregulares, transporte fluvial desordenado, festas e…

Mal crônico

O transporte marítimo precisa de infra-estrutura portuária mais moderna, tanto na ampliação, dificultada pela ocupação habitacional desordenada em áreas circunvizinhas, quanto na facilidade de acesso terrestre. Os portos carecem também de obras de dragagem pelo reduzido calado, para permitir atracação de navios maiores. Pelo grande potencial hidroviário que o País possui, haveria necessidade de maiores investimentos para a qualificação das hidrovias, principalmente para a construção de eclusas e sistemas de sinalização. Por todas as condições desfavoráveis na infra-estrutura, o custo logístico brasileiro está estimado em 12,6% do PIB. Comparando com os Estados Unidos, onde o custo representa 8,6% do PIB e cuja infra-estrutura é bem superior à nossa, do ponto de vista da qualidade (e da quantidade também), têm-se a diferença de 4% do PIB nacional, representando, somente no ano passado, perdas na ordem de R$ 102 bilhões. Considerando que a atividade transportadora no Brasil, dentre os custos logísticos, representa 7,5% do PIB brasileiro e, ainda em relação aos Estados Unidos, onde o custo logístico do transporte corresponde a 5% do PIB de lá, a diferença de 2,5% totaliza, então, aproximadamente R$ 64 bilhões, em razão dos gargalos da nossa infra-estrutura de transporte.”(Clésio Andrade, presidente da Confederação Nacional do Transporte – CNT).

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *