0

A pressão é grande para mudar as regras do leilão da usina de Belo Monte. O novo ministro de Minas e Energia, Márcio Zimmermann, considerou “praticamente descartada” qualquer alteração, mas o governo adiou para as 17h de 7 de abril o prazo para que os investidores procurem a Eletrobrás e fechem os consórcios que vão entrar na disputa. As subsidiárias Eletronorte, Furnas, Eletrosul e Chesf estão disponíveis.

Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Violência sem fim

Anterior

Leão faminto

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *