0
Em meio ao escândalo do DEMsalão, o grupo empresarial do vice-governador do DF, Paulo Octávio (DEM), é acusado de rombo de R$ 27 milhões nos cofres da Caixa Econômica Federal. O Ministério Público Federal entrou, há três semanas, com cinco denúncias na Justiça Federal contra as construtoras de PO. Cobra, entre outras coisas, a devolução do dinheiro à Caixa. Paulo Octávio é a aposta do DEM para suceder o governador José Roberto Arruda, que deixou o partido após as denúncias de corrupção no governo. No centro das investigações, o Brasília Shopping. O MPF aponta uma série de irregularidades na construção e administração feitas em parceria entre o Grupo Paulo Octávio e o Funcef, fundo de pensão dos funcionários da CEF, que tem 105 mil associados e patrimônio de R$ 32 bilhões. O rombo prejudica dezenas de milhares de pessoas que participam do Funcef. Dos R$ 27 milhões de prejuízo, R$ 14 milhões referem-se a apenas uma das cinco denúncias.
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Para nunca esquecer

Anterior

CPI da Propina

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *