0

O primeiro-ministro de Portugal, José Sócrates, foi condenado pelo Tribunal da Relação de Lisboa a pagar indenização de 10 mil euros ao jornalista José António Cerejo, por danos não-patrimoniais. Em 2001, o jornal ‘Público’ veiculou carta escrita por Sócrates – na época Ministro do Meio Ambiente – na qual acusava o jornalista de ser “leviano e incompetente”, “padecer de delírio e servir propósitos estranhos ao jornalismo”. Hummm… Isto não nos lembra algo parecido por aqui?

Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, presidente da Academia Paraense de Jornalismo, membro da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Caldo de galinha

Anterior

Olhai por nós

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *