0

O MPF se recusa a validar o TAC celebrado entre Sema e Incra, considerado incentivo à degradação ambiental. Só que, enquanto as licenças para mais de 99 assentamentos rurais criados pelo Incra no oeste do Pará desde 2005 não saem, invasores derrubam a mata para plantar capim.

Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

A idéia de Minc

Anterior

Mineração na Amazônia

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *