0
O deputado Arnaldo Jordy (PPS), relator da CPI da Pedofilia, voltou a cobrar, hoje, na tribuna da Alepa, que o Judiciário priorize o julgamento de casos envolvendo violência sexual contra menores. Lembrando que o Estatuto da Criança e do Adolescente assegura o tratamento diferenciado, Jordy lamentou a morosidade na apuração e, ainda, a não punição de alguns acusados desses crimes, sobretudo os que têm poder político ou econômico.
“Corre solto na boca da população que, nesses casos, a justiça teria sido comprada, com nada acontecendo com ‘gente grande’. Esses casos têm que ter prioridade para que vítimas indefesas não fiquem nas mãos desses criminosos. É preciso que os cuidados da justiça sejam redobrados para que esses criminosos não sejam beneficiados“, alfinetou Jordy, mas ressaltando o empenho do presidente do TJE-PA, desembargador Rômulo Nunes; da desembargadora Vânia Silveira e de outros integrantes da magistratura.
Em rápido balanço dos trabalhos da CPI, Jordy contou que, em 5 meses, o número de pessoas presas acusadas desse tipo de crime já supera o conseguido em 3 anos, o que mostra que as vítimas estão tendo mais coragem de denunciar, e anunciou a vinda, na próxima semana, da CPI Nacional da Pedofilia ao Pará.
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, presidente da Academia Paraense de Jornalismo, membro da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Aí tem

Anterior

Convite de lançamento

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *