0
Levantamento da Associação Brasileira de Magistrados, Promotores de Justiça e Defensores Públicos da Infância e da Juventude revela fragilidades do Sistema de Justiça especializada: só 92 comarcas têm Varas da Infância – o que corresponde a 3,4% das 2.643 comarcas de todo o País. A formação de magistrados, promotores e defensores públicos é precária, quando não inexistente. Não há espaço para o tema nas faculdades de Direito, nos editais de concurso público e nos cursos de formação inicial e continuada para aqueles que ingressaram na carreira. O CNJ estuda resolução instituindo parâmetros de criação de Varas e equipes interdisciplinares.
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

MPF no Pará

Anterior

Pará no Senado

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *