A empresa de ônibus Belém-Rio, que faz a linha para o distrito de Outeiro – Ilha de Caratateua, em Belém, aparentemente está falida e reduziu pela metade a sua frota, causando enorme sofrimento aos usuários do transporte coletivo. O serviço,…

A Cosanpa abriu nada menos que seiscentos buracos imensos nos bairros mais movimentados de Belém, infernizando a vida de todo mundo com engarrafamentos e causando graves riscos de acidentes, principalmente porque chove sempre, e quando as ruas alagam os buracos…

O Procurador-Geral de Justiça César Mattar Jr. inaugurou nesta quinta-feira, 16, o Núcleo Eleitoral do Ministério Público do Estado do Pará, que vai funcionar na sede das Promotorias de Justiça de Icoaraci, distrito de Belém. O coordenador será o promotor…

A desembargadora Maria de Nazaré Saavedra Guimarães, que se destaca pelo belo trabalho que desenvolve à frente da Comissão de Ações Judiciais em Direitos Humanos e Repercussão Social do Tribunal de Justiça do Estado do Pará, e que já coordenou…

Guitar hero ou guitarreiro?

Márcia Carvalho, assessora de comunicação do IAP, conta que a guitarra, ícone maior do bom e velho rock, ainda pulsa. Hoje, às 19 horas, no anfiteatro do Instituto de Artes do Pará, a guitarrada do Tocantins vai ecoar com o lançamento do CD “João Gonçalves e os Populares de Igarapé-Miri – O Guitarra de Ouro criador da Lambada“. A história é para lá de interessante. Nos anos 60, João Gonçalves ouvia rock no radinho. Mas também ouvia merengue e cumbia, lá do Caribe. Juntou amigos e montou uma banda. O nome já estava certo: “Os Populares de Igarapé-Miri“. O primeiro show só aconteceu três anos depois, num pequeno clube da cidade, mas o sucesso foi imediato. Empolgado, o presidente do tal clube arranjou convite para apresentação numa rádio em Belém. O radialista era – vejam só – Paulo Ronaldo, que improvisou estúdio em sua própria casa, onde mantinha a aparelhagem Xavante, para a primeira gravação do grupo. O primeiro sucesso foi “Lambada da Vassoura“, em 1971. Depois vieram “Lambada da Sereia” e “Carimbó do Peixe-Boi“. Aí surgiu convite para o primeiro elepê, “Lambadas Incrementadas“, que trouxe o hit Lambada do Tibúrcio“. Depois de intervalo, o grupo lançou “Lambadão“. O novo disco do grupo sai com selo Ná Figueredo e traz 18 músicas, entre inéditas e regravações, todas de autoria de João Gonçalves. Ao seu lado está outro mestre das guitarradas, Aldo Sena, e ainda Zé Maria (contrabaixo), Jairo (percussão), Gordo (bateria) e Waldeson (teclados). Hoje, aos 52 anos, visual chamativo com direito a jaqueta de couro, óculos escuros, topete e ar de “bad boy”, ele exibe com orgulho 13 discos gravados e o livro “O rock and roll – Origem, mitos e rock instrumental no Brasil e em outros países”, em que figura. Antes do show de lançamento haverá apresentação de Pio Lobato e Grupo Caburé. Guitarrista e produtor musical, Pio Lobato foi um dos principais responsáveis pela volta da guitarrada, ao produzir, em 2005, o disco Mestres da Guitarrada, de Vieira, Curica e Aldo Sena. Essas duas experiências bem distintas estão sendo compartilhadas durante o workshop Práticas de Guitarrada, realizado durante esta semana pelo IAP.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *