0
Membros da Coordenadoria Nacional do Trabalho Aquaviário e Portuário reuniram na Procuradoria Geral do Trabalho, em Brasília, para um balanço da atuação neste ano. A meta é coibir ilegalidades praticadas contra os trabalhadores do setor portuário e aquaviário, identificadas especialmente na região amazônica, onde o transporte fluvial precisa de regularização e atenção.
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Mago parauara

Anterior

Leve seu carro nas costas

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *