0
Acreditem: o Tribunal de Justiça de São Paulo descobriu que 4,8 mil servidores estavam recebendo vencimentos sem trabalhar, através de licenças médicas irregulares. Tinha funcionário com cinco anos de afastamento por doença. Alguns foram descobertos morando e trabalhando no exterior — um em Miami (EUA) e outro em Madri (Espanha) — pagos pelo erário paulista. Outra foi flagrada trabalhando em um hospital. Descobriram até que uma funcionária teria assediado sexualmente o médico da seção de perícia estadual para ele manter seu afastamento por problemas de saúde. Hummm…
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Aeroparlamentar

Anterior

Olé do interior

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *