Governador do Pará e presidente do Consórcio de Governadores da Amazônia Legal, Helder Barbalho está com agenda intensa em Brasília, e em reunião com Lula nesta sexta-feira (27) apresentou documento proposto pelo CAL. Para o desenvolvimento regional do bioma amazônico,…

O Papa Francisco nomeou o atual bispo da prelazia de Marajó (PA), Dom Evaristo Pascoal Spengler, bispo de Roraima (RR), que estava sem titular há um ano, desde a transferência de Dom Mário Antônio da Silva para a arquidiocese de…

Utilizar o futebol como ferramenta de transformação social para crianças e adolescentes de todo o Pará é o objetivo do projeto "Futebol Formando Cidadão", que será lançado neste domingo (29) no oeste paraense. A iniciativa é do Tapajós Futebol Clube,…

No próximo sábado, 28, é o Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo. Esta semana, foram divulgados dados da Secretaria de Inspeção do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) referente a 2022, quando foram resgatados 2.575 trabalhadores em condições análogas…

Fala da senadora Marinor

“Hoje, trago ao conhecimento desta Casa e da cidadania brasileira que nos acompanha, os fatos que estão expostos na mídia local e nacional e que são o centro de uma grave crise de credibilidade por que passa o Legislativo do Pará.
Refiro-me às denúncias da existência de um criminoso esquema de fraudes na Assembléia Legislativa do Estado do Pará – ALEPA, as quais ensejaram a proposição de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), proposta pelo deputado Edmilson Brito Rodrigues do PSOL, no intuito de que a própria Assembléia seja protagonista no processo investigatório, dando assim a resposta que a sociedade paraense exige.
A instalação da CPI na ALEPA e a correta apuração dos fatos são consoantes com o momento que vive a sociedade brasileira de se expressar para dar um basta na corrupção que é praticamente endêmica no País. Basta lembrarmos a mobilização em torno da aprovação da Lei da Ficha Limpa e da indignação causada pela decisão do Supremo de não aplicá-la para as eleições de 2010. Há um clamor para que os representantes do povo em todas as esferas, mas em particular no Legislativo, se contraponham ao rótulo de que todo político é desonesto, é corrupto.
Nosso pedido de CPI não está direcionado contra qualquer partido ou ex-parlamentar ou parlamentar no exercício do mandato. Nem pretende centralizar seus esforços na análise apenas dos atos da gestão anterior, porque são fartos os indícios que dão conta da longevidade do esquema criminoso que lá se instalou.
O PSOL, partido que tenho a honra de liderar nesta Casa, ao propor a CPI no Pará, soma-se às vozes dos mais diferentes segmentos sociais, como por exemplo, da OAB- seccional do Pará, instituição de elevada credibilidade, que manifestou oficialmente seu apoio e seu apelo para que a mesma seja instalada o quanto antes, como forma de resgate da autoridade e da legitimidade do Legislativo Paraense.
Por fim, quero parabenizar a ação do Ministério Público Estadual que está conduzindo a apuração dos fatos de forma rigorosa e de acordo com seu papel constitucional.
A completa elucidação da trama fraudulenta, com a devida identificação de todos os envolvidos, é o que o povo do Pará espera de seus representantes e é ao mesmo tempo, uma prestação de contas aos anseios expressos da sociedade brasileira pela ética na política.”

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *