0
O ministro Hamilton Carvalhido, no exercício da presidência do Superior Tribunal de Justiça, negou pedido de liminar em habeas corpus ao juiz José Carlos Remígio, preso preventivamente em Alagoas, por lesão corporal dolosa contra sua mulher.
A agressão foi caracterizada como violência doméstica. O magistrado já responde a processo, da mesma natureza, por bater na ex-esposa. A agressão ocorreu em via pública e foi filmada pela PM. As imagens mostram o juiz embriagado ameaçando os policiais e a sua companheira.
O blog entende que, dada a notória reincidência do juiz em bater nas suas mulheres, o TJE-AL prestaria relevante serviço à sociedade se abrisse processo através de sua Corregedoria e o expulsasse da Magistratura.
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

O nome de Gerson

Anterior

Diagnóstico só amanhã

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *