0
Depois de cinco meses de impasse, finalmente foi batido o martelo, com o entendimento entre a governadora Ana Júlia Carepa e os prefeitos, ontem: 43% do valor do empréstimo de R$366 milhões ao BNDES – cerca de 157 milhões de reais – serão destinados ao pagamento do passivo do Fundo de Desenvolvimento do Estado, o FDE. 7% do total dos recursos quitarão emendas parlamentares. A outra metade vai ser usada para a conclusão de obras do PAC e construção/recuperação de estradas.

Nenhum município ficará de fora da divisão do bolo. Além da conclusão das obras que ficaram paradas em função da perda de arrecadação, todos serão contemplados levando em consideração a ordem inversa de seu índice de desenvolvimento humano. Ou seja, municípios com IDH mais baixo receberão mais recursos.

Agora, a expectativa é de que na semana que vem seja aprovado o projeto do Executivo pela Alepa.

Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Agenda difícil

Anterior

O bebê sumiu

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *