Nesta quinta-feira, dia 21, até o sábado, 23, a Escola do Legislativo da Assembleia Legislativa do Pará oferece os cursos de qualificação e atualização do projeto Forma Alepa/Elepa Itinerante em Santarém, atendendo toda a região do Baixo Amazonas, abrangendo também…

Em reunião conjunta das Comissões de Fiscalização Financeira e Orçamentária (CFFO) e de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa, nesta segunda-feira (18) foi aprovado o projeto de lei nº 363/2021, que autoriza o Governo do Pará a contratar operação…

Não houve o célebre círio fluvial de Oriximiná no rio Trombetas este ano, por causa da pandemia, mas a imagem de Santo Antônio flanou pelas águas, levada pela comunidade de várzea do Rio Cachoeiry, que celebrou o verão depois da…

Aprender mais sobre as boas práticas Lixo Zero e como aplicá-las no dia a dia, repensando hábitos de consumo e inspirando a população a enxergar os seus resíduos com dignidade é o que propõe a programação que acontecerá entre os…

Dica de Cinema

Assisti ontem a A Forma da Água, do mexicano Guillermo del Toro, o favorito ao Oscar 2018 com 13 indicações, entre elas a de melhor filme, direção, roteiro original e atriz protagonista (Sally Hawkins) e fiquei absolutamente encantada. Conta a história de amor entre uma faxineira muda e uma estranha criatura aquática, um anfíbio humanoide grotesco e ao mesmo tempo fascinante. O filme é delicado, comovente, mágico, revolucionário. Simplesmente fantástico! Nestes tempos em que a realidade é de um surrealismo pavoroso, uma verdadeira ode à tolerância. Não à toa, os únicos amigos dos protagonistas são uma mulher negra e um gay dissimulado, os personagens “normais” não conseguem se comunicar, mas os dois que não têm a fala se comunicam lindamente. 
A trilha sonora de Alexandre Desplat é uma preciosidade. Tem Carmem Miranda com a clássica “Chica Chica Boom Chic”, a francesa Madelaine Peyroux com “La Javanaise”, enquanto Andy Williams surge com “A Summer Place”, e ainda uma gravação de Babalu, de Margarita Lecuona, com Caterina Valente e Silvio Francesco. Isto sem falar que ninguém menos que a soprano norte-americana Renée Fleming – estrela dos melhores palcos do planeta -, interpreta You’ll Never Know. Gabriella Florenzano fez masterclass com ela no ano passado, na Eastman  School of Music, da Universidade de Rochester, em Nova York, onde estuda com a diva Katherine Ciesinski (mezzo-soprano).


A Forma da Água já venceu o Globo de Ouro (Melhor Direção e Melhor Trilha Sonora), o Critics’ Choice (Melhor Filme, Melhor Direção, Melhor Trilha Sonora e Design de Produção), o prêmio do Sindicato dos Produtores (Melhor Filme), abocanhou o Leão de Ouro do Festival de Veneza e Melhor Trilha Sonora e ainda levou o título de Filme do Ano, do American Film Institute. 

Corram para ver. Talvez saia de cartaz em Belém amanhã. Cliquem aqui e ouçam a trilha sonora.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *