O Tribunal Regional Eleitoral do Pará oficializou o resultado da eleição suplementar em Viseu 39 minutos após o encerramento da votação. Foi eleito prefeito Cristiano Vale (nº 11 – PP – Voltando pra Cuidar da Gente) e vice-prefeito Mauro da…

Nem bem foi inaugurado, e ainda faltando a instalação dos bancos e finalização, o calçadão da Avenida Beira-Mar, em Salinópolis, sofreu diversas avarias. A Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Obras acionou a empresa responsável pela obra, que está executando ações…

A expectativa era grande em relação à ida do governador Helder Barbalho à Assembleia Legislativa para a leitura da Mensagem na instalação da 61ª Legislatura. Funcionou como uma espécie de termômetro da Casa, que abriga novos deputados na oposição, e…

Foram empossados hoje na Assembleia Legislativa do Pará os 41 deputados estaduais eleitos para a 61ª Legislatura (2023-2027). Em seguida houve eleição para a Presidência e a Mesa Diretora, em chapa única, tendo sido reeleito praticamente à unanimidade – por…

Denúncia em Tailândia

O promotor de Justiça de Tailândia, Bruno Beckembauer, recebeu representação propondo ação civil pública por ato de improbabilidade administrativa, subscrita pelos cidadãos Valdinei Afonso Palhares, Maria Aparecida Silva do Carmo, a “Preta”, e Aluísio Onofre de Souza, o “Lui”, contra o prefeito Gilberto Miguel Sufredini e seu vice, Edson Azevedo, e a empresa EJTF Terraplanagem Ltda. O MPE notificou os representados e já ouviu o prefeito, que confirmou parte da denúncia.

Segundo a representação, quem executa a coleta de lixo na cidade é a empresa EJTF Terraplanagem Ltda – EPP, com sede na trav. São Félix nº 04, CNPJ 10.498.708/0001-78, bairro Centro – Tailândia-PA, que tem como sócios Estherullams José de Azevedo (detentor de 99,9% do capital), brasileiro, casado com Maria Telma Queiroz de Azevedo, e Thiago Francisco Galvão de Lima.
 

O sócio majoritário é irmão do vice-prefeito, e o outro, detentor de 0,01% do capital, é assessor especial, lotado no gabinete do prefeito.
 

A alteração contratual nº 02 foi devidamente registrada na Junta Comercial do Pará, em 28/05/2010, mas a empresa já recebia fatura desde janeiro de 2009 e foi constituída em 31/10/2008, logo após as eleições municipais.

Ao consultar no Tribunal de Contas dos Municípios o período 2009/2010, os subscritores da representação encontraram nas contas da municipalidade diversos pagamentos mensais para a EJTF Terraplanagem, que só pela coleta de lixo recebeu R$ 3,6 milhões, sem licitação.

Os autores requerem a imediata indisponibilidade dos bens dos demandados, para futuro ressarcimento ao erário municipal e o pagamento das multas civis a serem fixadas na sentença condenatória, bem como a condenação nas sanções civis.

 

*Fonte: Forum da Sociedade Civil de Tailândia-Pará

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *