Governador do Pará e presidente do Consórcio de Governadores da Amazônia Legal, Helder Barbalho está com agenda intensa em Brasília, e em reunião com Lula nesta sexta-feira (27) apresentou documento proposto pelo CAL. Para o desenvolvimento regional do bioma amazônico,…

O Papa Francisco nomeou o atual bispo da prelazia de Marajó (PA), Dom Evaristo Pascoal Spengler, bispo de Roraima (RR), que estava sem titular há um ano, desde a transferência de Dom Mário Antônio da Silva para a arquidiocese de…

Utilizar o futebol como ferramenta de transformação social para crianças e adolescentes de todo o Pará é o objetivo do projeto "Futebol Formando Cidadão", que será lançado neste domingo (29) no oeste paraense. A iniciativa é do Tapajós Futebol Clube,…

No próximo sábado, 28, é o Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo. Esta semana, foram divulgados dados da Secretaria de Inspeção do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) referente a 2022, quando foram resgatados 2.575 trabalhadores em condições análogas…

Delação dos donos da JBS atinge Temer

Só Deus sabe o que vai acontecer no Brasil nos próximos dias e meses. O G1 divulgou matéria do jornalista Lauro Jardim revelando o teor da mais bombástica delação premiada na Lava-Jato, feita pelos donos da Friboi, Joesley e Wesley Batista: em plena ebulição da Lava-Jato e em meio à divulgação da Lista de Fachin, o presidente Michel Temer foi gravado em diálogo comprometedor, indicando o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) para “resolver um assunto” da J&F (holding que controla a JBS). Depois, Rocha Loures foi filmado recebendo uma mala com R$ 500 mil enviados por Joesley Batista. Em outra gravação, Temer ouviu do empresário que estava dando a Eduardo Cunha e ao operador Lúcio Funaro uma mesada na prisão para ficarem calados e disse: “Tem que manter isso, viu?”. 

O senador Aécio Neves também foi gravado pedindo R$ 2 milhões a Joesley, e a entrega a um primo seu foi filmada pela Polícia Federal, que rastreou o dinheiro e assim descobriu que foi parar na conta bancária de uma empresa do senador Zezé Perrella (PSDB-MG). 
Joesley revelou que o ex-ministro da Fazenda Guido Mantega era o seu contato com o PT e com ele o dinheiro de propina era negociado para ser distribuído aos petistas e aliados. Mantega também operava os interesses da JBS no BNDES.
Joesley contou, ainda, que pagou R$ 5 milhões para Eduardo Cunha quando ele já estava preso, um “saldo” de propina. E – pasmem! – Disse que devia R$ 20 milhões pela tramitação de lei sobre a desoneração tributária do setor de frango. O material dos donos da Friboi é um verdadeiro 
histórico de propinas distribuídas aos políticos mais destacados da República nos últimos dez anos.

Os diálogos e as entregas de malas (ou mochilas) com dinheiro foram filmadas pela PF. As cédulas tinham seus números de série informados aos procuradores. Pior: estavam com chips para serem rastreadas. Nessas ações controladas circularam cerca de R$ 3 milhões em – vejam só! – propinas carimbadas durante todo o mês de abril. 

Conforme o G1, as conversas do grupo JBS com a PF e a Procuradoria Geral da República começaram em março, em abril começaram a ser tomados os depoimentos e já na primeira semana de maio haviam terminado. As tratativas foram feitas pelo diretor jurídico da JBS, Francisco Assis e Silva, que acabou virando delator.  Na quarta-feira passada, o ministro Edson Fachin homologou a delação premiada. 

Em duas oportunidades em março, o dono da JBS conversou com o presidente da República e com o senador tucano levando um gravador escondido. Ao mesmo tempo em que delatava no Brasil, a JBS contratou o escritório de advocacia Trench, Rossi e Watanabe para tentar um acordo de leniência com o Departamento de Justiça dos EUA (DoJ). 

A JBS tem 56 fábricas nos EUA, onde lidera o mercado de suínos, frangos e o de bovinos. Precisa também fazer um IPO (abertura de capital) da JBS Foods na Bolsa de Nova York. 

Os irmãos Batista pagarão uma multa de R$ 225 milhões para escapar livres das operações Greenfield e Lava-Jato e se a leniência com o DoJ for assinada o valor vai se multiplicar. Mas o preço que o povo brasileiro vai pagar pela conduta dos vendilhões da Nação é algo desmedido.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *