A empresa de ônibus Belém-Rio, que faz a linha para o distrito de Outeiro – Ilha de Caratateua, em Belém, aparentemente está falida e reduziu pela metade a sua frota, causando enorme sofrimento aos usuários do transporte coletivo. O serviço,…

A Cosanpa abriu nada menos que seiscentos buracos imensos nos bairros mais movimentados de Belém, infernizando a vida de todo mundo com engarrafamentos e causando graves riscos de acidentes, principalmente porque chove sempre, e quando as ruas alagam os buracos…

O Procurador-Geral de Justiça César Mattar Jr. inaugurou nesta quinta-feira, 16, o Núcleo Eleitoral do Ministério Público do Estado do Pará, que vai funcionar na sede das Promotorias de Justiça de Icoaraci, distrito de Belém. O coordenador será o promotor…

A desembargadora Maria de Nazaré Saavedra Guimarães, que se destaca pelo belo trabalho que desenvolve à frente da Comissão de Ações Judiciais em Direitos Humanos e Repercussão Social do Tribunal de Justiça do Estado do Pará, e que já coordenou…

De Justiça & de Música

O ministro Cezar Peluso, Vice-Presidente do STF e quem decide, talvez ainda hoje, a vida política de Maria do Carmo Martins Lima, é sobrinho da compositora e pianista santarena Rachel Peluso. A revelação é do desembargador federal do trabalho Vicente Fonseca, ex-aluno do Instituto Musical Padre José Maurício – fundado em São Paulo por Raquel e sua irmã, a soprano Gioconda Peluso -, que lembrou o centenário da maestrina, transcorrido este ano, em artigo publicado no Uruá-Tapera. Seu avô José Agostinho da Fonseca compôs em homenagem a ela a valsa “Rachelina“, que depois ganhou letra de João de Jesus Paes Loureiro e arranjo para violão solo de Vicente Fonseca. Gioconda Peluso cantou músicas de Wilson Fonseca, o maestro Isoca, no Theatro Municipal de São Paulo e na Itália, entre elas “Lenda do Boto“. Rachel Peluso gravou, em 1959, um disco (78 RPM) com músicas de Isoca, acompanhando, ao piano, o tenor Expedito Toscano, filho do tenor e seresteiro Joaquim Toscano, entre elas Lua Branca (letra de Paulo Rodrigues dos Santos, autor da letra do “Hino de Santarém”), uma das canções mais belas de Isoca, incluída no concerto que o violonista paraense Maurício Gomes realizou em Fortaleza (CE), em 19 de agosto de 2008, dentro da série “Talentos do Violão”, promovida pelo Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, quando foi executada a valsa “Rachelina”. Além de inúmeros arranjos, em homenagem às irmãs Peluso Vicente Fonseca dedicou as suas “Valsas Santarenas” nºs. 39 e 41, executadas, recentemente, no Uruguai, pelo pianista e maestro Júlio César Huertas Scelza e cantores.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *