0
O diretor do departamento de pessoal da prefeitura de Barcarena, Olival José do Espírito Santo, 45, foi preso ontem, em flagrante, pelo GrupoEspecial de Prevenção e Repressão a Organizações Criminosas, quando tentava subornar o radialista Carlos Baia, que denunciara o prefeito João Carlos Dias, por ter nomeado Semara Cristina de Souza Rosa, sobrinha do diretor, assessora da Procuradoria Geral Municipal, com salário de R$ 3.587,62. Segundo Baia, a moça trabalha como empregada doméstica, jamais exerceu a função ou recebeu qualquer salário e sequer sabia que era DAS na prefeitura. Olival abriu uma conta em nome da sobrinha noBanpará e outra no Banco do Brasil. Movimentou ambas e até fez empréstimo no BB de R$ 25 mil. Quando a história veio à tona, Olival Santos disse que Semara teria pedido exoneração para estudar e morar em outro município, mas foi desmentido pelo radialista. Baia conta que durante esta semana, Olival fez várias ligações para ele na tentativa de suborná-lo, propondo até R$ 3 mil semanais para que desistisse do processo judicial que iniciara. O radialista gravou tudo e entregou ao MP, que chamou a polícia e armou o flagrante, testemunhado pela própria promotora de justiça local. Olival está detido na delegacia de Vila dos Cabanos, enquadrado no artigo 343 do Código Penal, que prevê pena de reclusão de 3 a 4 anos.
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, presidente da Academia Paraense de Jornalismo, membro da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Reação inusitada e eficaz

Anterior

Enquanto isso…

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *