0
A aldeia dos Tupaiu, origem do nome Tapajós, fundada pelo Padre João Felipe Bettendorf (1625-1698) – missionário jesuíta, sob o comando de Padre Antônio Vieira –, se tornou Vila de Santarém, em 14 de março de 1758, e, depois, município, em 24 de outubro de 1848 (Lei nº 145, editada pelo Presidente da Província do Pará).
Pela Pérola do Tapajós já tinha passado, em 1542, o navegador espanhol Francisco Orellana (1490-1546), que se defrontou com o cacique Nurandaluguaburabara, em homenagem ao qual Vicente Malheiros da Fonseca compôs uma música que começa assim: “Descreve Tupaiulândia/O livro de Paulo Rodrigues dos Santos/A história desta terra querida/Que o samba vai cantar com alegria.//Surge Francisco Orellana/Nas águas tão cristalinas, da cor do céu,/Trazia uns cinqüenta e sete homens/Afoitos, nem vou dizer, que escarcéu…”.
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

A hora do pesadelo

Anterior

Atenção para as mudanças

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *