Para marcar os quinze anos de criação das Florestas Estaduais de Faro, Trombetas e Paru, da Estação Ecológica Grão-Pará e da Reserva Biológica Maicuru, na Calha Norte, hoje (4), o Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) lançou…

Lançamentos literários, apresentações de teatro, oficinas voltadas para as culturas pop e japonesa, arrecadação de livros, atividades pedagógicas e lúdicas direcionadas ao público infantil, entre outras ações, estão no cardápio de cultura e arte servido aos visitantes do estande da…

O procurador do Ministério Público do Trabalho Sandoval Alves da Silva tomou posse na chefia da Procuradoria Regional do Trabalho da 8ª Região para o biênio de 2021-2023 enfatizando o papel decisivo do MPT na garantia dos direitos humanos. O…

Prevaleceu o bom senso e o cuidado com as pessoas. O prefeito Edmilson Rodrigues ouviu o secretário municipal de Saúde, Maurício Bezerra, e técnicos responsáveis pela vacinação e enfrentamento à Covid-19, e cancelou os desfiles das escolas de samba, blocos…

Crime organizado

Segundo denúncia do Bispo do Marajó, por meio de observação e entrevistas locais, os seguintes fatos também foram constatados:

a) Exploração sexual de meninas com idade de 12 a 17 anos e que são aliciadas nos locais de maior concentração de jovens, como as boates Mormaço, Tropical e o Bar Altas Horas, no município de Portel;

b) No bairro da Tijuca, no município de Portel, onde se localiza a maior parte da orla da Cidade, há uma faixa contínua de quartos de madeira, um ao lado do outro, com camas e instalações que são usados para exploração sexual com atividade ininterrupta durante vinte e quatro horas, favorecida pela circulação de pescadores, barqueiros, trabalhadores de balsas e comerciantes, aonde é possível identificar adolescentes do sexo feminino sendo exploradas a qualquer hora do dia, além da presença de aliciadores que se beneficiam da vulnerabilidade sócio-econômica das adolescentes;

c) Situação de extrema fragilidade, senão ausência das forças de Justiça do Estado, sobretudo Judiciário e Ministério Público nos municípios de Breves e Portel;

d) Conselhos Tutelares de Breves e Portel com dificuldades de desenvolverem suas atividades devido estarem desestruturados;

e) Em Portel, fatos denunciados anteriormente pela Comissão de Direitos Humanos da Câmara Federal, em abril de 2006, sobre a existência de redes de exploração envolvendo vereadores, empresários, autoridades policiais e servidores públicos, entre outros. Também foi confirmada a atuação de grupos organizados para a exploração, abuso sexual e tráfico de entorpecentes no interior das escolas.”

(Trecho do Relatório da CPI da Pedofilia da Alepa – relator deputado Arnaldo Jordy).

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *