Embora o Quartel Tiradentes esteja localizado no coração do bairro do Reduto, sediando o 2º BPM e duas Companhias da Polícia Militar do Pará, os meliantes parecem desafiar abertamente os policiais. Os assaltos no bairro continuam muito frequentes, principalmente no…

Douglas da Costa Rodrigues Junior, estudante de Letras - Língua Portuguesa da Universidade Federal do Pará e bolsista do Museu Paraense Emílio Goeldi, ganhou a 18ª edição do Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica na área de Ciências Humanas…

O Ministério Público do Trabalho PA-AP abrirá na segunda-feira inscrições para Estágio de Nível Superior. A seleção será destinada ao preenchimento de vagas e formação do quadro de reserva de estagiários dos cursos de Administração/Gestão Pública, Biblioteconomia, Direito, Jornalismo, Publicidade/Propaganda…

Hoje, dia 23 de julho de 2021 às 19h, o Instituto Histórico e Geográfico do Pará realizada a nona “Live em Memória” da programação alusiva aos 121 anos do Silogeu, desta vez em homenagem ao centenário de nascimento do Almirante…

Crime organizado

Segundo denúncia do Bispo do Marajó, por meio de observação e entrevistas locais, os seguintes fatos também foram constatados:

a) Exploração sexual de meninas com idade de 12 a 17 anos e que são aliciadas nos locais de maior concentração de jovens, como as boates Mormaço, Tropical e o Bar Altas Horas, no município de Portel;

b) No bairro da Tijuca, no município de Portel, onde se localiza a maior parte da orla da Cidade, há uma faixa contínua de quartos de madeira, um ao lado do outro, com camas e instalações que são usados para exploração sexual com atividade ininterrupta durante vinte e quatro horas, favorecida pela circulação de pescadores, barqueiros, trabalhadores de balsas e comerciantes, aonde é possível identificar adolescentes do sexo feminino sendo exploradas a qualquer hora do dia, além da presença de aliciadores que se beneficiam da vulnerabilidade sócio-econômica das adolescentes;

c) Situação de extrema fragilidade, senão ausência das forças de Justiça do Estado, sobretudo Judiciário e Ministério Público nos municípios de Breves e Portel;

d) Conselhos Tutelares de Breves e Portel com dificuldades de desenvolverem suas atividades devido estarem desestruturados;

e) Em Portel, fatos denunciados anteriormente pela Comissão de Direitos Humanos da Câmara Federal, em abril de 2006, sobre a existência de redes de exploração envolvendo vereadores, empresários, autoridades policiais e servidores públicos, entre outros. Também foi confirmada a atuação de grupos organizados para a exploração, abuso sexual e tráfico de entorpecentes no interior das escolas.”

(Trecho do Relatório da CPI da Pedofilia da Alepa – relator deputado Arnaldo Jordy).

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *