0
Só a perícia do Corpo de Bombeiros, com apoio da Celpa e da Eletronorte, poderá apontar as causas do incêndio que destruiu todos os 16 quadros de comandos da Estação Bolonha da Cosanpa – que haviam sido revitalizados há cerca de cinco anos e eram considerados novos -, deixando a Região Metropolitana de Belém sem água desde o sábado até agora. O que se sabe é que o relé de desarme (proteção) deveria ter atuado assim que iniciou o curto-circuito, mas falhou.

Nos hospitais administrados pelo Estado foram adotadas medidas emergenciais para garantir os serviços que dependem diretamente do abastecimento de água. No Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência, em Ananindeua, um sistema complementar ao que é utilizado normalmente pela unidade foi colocado em operação. Ainda durante madrugada, uma força-tarefa garantiu o restabelecimento da água no HMUE, que desde o incêndio no Pronto Socorro de Belém, no final de junho, tem recebido uma demanda maior de pacientes. O Metropolitano serviu, inclusive, de apoio aos pacientes transferidos do PSM.
Para não comprometer o atendimento de pacientes e usuários, a Fundação Hospital de Clínicas Gaspar Vianna providenciou o abastecimento das cisternas da unidade; já no Centro de Hemodiálise Monteiro Leite, no bairro de Batista Campos, esse trabalho está sendo feito pelos Bombeiros. A prioridade, claro, é para os setores de UTI, emergências, centros cirúrgicos e obstétricos. Nos demais setores, o abastecimento está sendo liberado por 15 minutos, a cada hora, até que a Cosanpa restabeleça o fornecimento. 

A direção do Gaspar Vianna esclarece que a suspensão da sessão de diálise, ontem, ocorreu em virtude do processo de desinfecção da cisterna da clínica, feito no último domingo. Como o abastecimento não foi restabelecido no tempo previsto, não foi possível atender aos pacientes, vez que a água entregue pelos bombeiros precisa passar por um minucioso processo de desinfecção antes de ser utilizada. Os pacientes que não puderam fazer diálise foram avaliados e trinados  Aqueles considerados prioritários foram encaminhados para realizar o procedimento no 4º e 5º turnos do Hospital de Clínicas ainda hoje.





Conforme nota da Agência Pará, nos
bairros Arsenal, Cidade Velha, Comércio, Campina, Reduto, Batista Campos,
Umarizal, Nazaré, Telégrafo (parte), Guamá, Cremação, Condor, Jurunas,
 Marco, Curió-Utinga, Souza, São Brás, Canudos, Fátima, Terra Firme,
Sacramenta, Pedreira, Telégrafo (parte), Malvinas (Casota), Guanabara,
Marambaia, Jaderlândia, Cidade Nova e Guajará, a água deverá voltar às
torneiras ainda hoje pela manhã.
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, presidente da Academia Paraense de Jornalismo, membro da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Terça-feira de julho

Anterior

A gente quer cultura, diversão e arte!

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *